Dia "D" da amamentação

É no leite materno que encontramos os nutrientes indispensáveis à vida: calor, amor, carinho e saúde.

Hospital São Francisco de Canindé promove dia "D" da amamentação

By Flavio posted Agosto 16, 2016

         O Hospital São Francisco de Canindé realizou na segunda-feira(8) no município de Canindé, o dia D da Amamentação. A ação foi promovida pela Comissão de Aleitamento Materno do hospital, formada pelas enfermeiras Irene Uchôa, Ana Lúcia Chaves e Mayara Uchôa e a técnica de Enfermagem Elineuda Arruda. Contou também com a valorosa presença da Matriarca do Aleitamento no HSFC, a médica pediatra Zenilda Barros.
        O evento faz parte das comemorações do Dia Mundial da Amamentação (comemorado em 1º de agosto), data criada em 1992 pela Aliança Mundial de Ação pró-amamentação (World Alliance for Breastfeeding Action – WABA) com a finalidade de promover o aleitamento materno e a criação de bancos de leite, garantindo, assim, melhor qualidade de vida para crianças em todo o mundo.
       Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a amamentação é a principal forma de fornecer ao bebê os nutrientes necessários para sua sobrevivência e seu desenvolvimento. Nos primeiros seis meses de vida, deve ocorrer o aleitamento materno exclusivo, sem a complementação com nenhum alimento. Após o período de seis meses, outras substâncias podem ser oferecidas à criança. Vale salientar que vários estudos sugerem que crianças devem ser alimentadas com leite até, pelo menos, os dois ou três anos de idade.
       Apesar de muitas pessoas afirmarem que o leite de uma pessoa pode ser fraco, esse fato não é realidade. Todas as mulheres apresentam leite capaz de nutrir e proteger sua criança, portanto, não é necessário adicionar nenhum produto à alimentação no início da vida de um bebê. Vale destacar ainda que o leite da mãe já está na temperatura ideal para a criança, não necessita de esterilização e pode ser usado sem medo.
       No leite materno, a criança encontra não só as substâncias necessárias para a sua nutrição, mas também anticorpos fundamentais para protegê-la no início da vida. Estudos comprovam que a mortalidade por doenças infecciosas é menor em crianças que são amamentadas. O leite materno também garante proteção contra infecções respiratórias, evita casos de diarreia e o seu agravamento, além de diminuir os riscos de alergia.
       No que diz respeito aos benefícios a médio e longo prazo, a amamentação faz com que as crianças apresentem pressões arteriais mais baixas, menores níveis de colesterol e uma redução do risco de desenvolver obesidade e diabetes tipo 2. Nesse último caso, pudemos destacar o fato de que a mulher que amamenta também apresenta esse risco reduzido..